Revista Forbes publica matéria sobre Chaves em seu site

22/03/2012 22:03

 

 

 

 

 

 

 

A revista Forbes, uma das mais conceituadas publicações dos Estados Unidos e famosa por suas listas das pessoas mais ricas do mundo, publicou em sua versão eletrônica uma matéria sobre o sucesso de Chaves pela América Latina, dando atenção especial ao Brasil.

O comediante e apresentador Danilo Gentili, da Band, foi um dos entrevistados na matéria e ressaltou que o sucesso de Chaves é reflexo da identificação do público com o seriado, fazendo com que quem assista se veja naquelas situações de dificuldade enfrentadas por Chaves, Seu Madruga e todos na vila.

Leia abaixo a matéria traduzida para o português:

No próximo domingo, os olhos da América estarão no Lucas Stadium em Indianapolis, onde os New York Giants e os New England Patriots se enfrentarão no Super Bowl (final do campeonato de futebol americano dos Estados Unidos). O jogo será transmitido pela emissora NBC, que tentará quebrar o record de audiência do ano passado: 111 milhões de telespectadores. De acordo com o instituto de pesquisa Nielsen, foi o Super Bowl mais assistido de todos os tempos e o programa mais assistido da história da televisão americana.

Impressionante! Mas e se um programa mexicano de televisão que foi produzido nos anos 70 atingisse os mesmos índices, com o detalhe de atingir todos os dias? Existe um programa que faz isso - o popular "El Chavo del Ocho" - uma produção da Televisa que foi transmitida pela primeira vez em 20 de junho de 1971 e ainda hoje é a atração principal da emissora mexicana.

"El Chavo" está há quatro décadas no ar e mesmo depois de 20 anos da exibição do último episódio original o programa não apresenta sinais de fadiga. Em média, 91 milhões de pessoas assistem o programa diariamente em todos os países onde ele é transmitido. Nos Estados Unidos, onde geralmente "El Chavo" consta no top 5 dos programas transmitidos em língua espanhola por TV a cabo, o programa é líder de audiência no gênero sitcom nas faixas etárias de 6 a 11 anos e de 18 a 49 anos no canal a cabo Galavision. No Brasil, onde "El Chavo" é dublado em português (e chamado de "Chaves" pelo SBT, a terceira emissora mais assistida do país), a proporção é ainda maior, chegando algumas vezes a ser o programa mais assistido do dia, causando dor de cabeça até na Globo, a líder de audiência do país.

No assunto finanças, "El Chavo" é igualmente impressionante. Desde que parou de ser produzido em 1992, estima-se que o programa retornou à Televisa cerca de 1,7 bilhão de dólares, relativos aos direitos do seriado. Deste montante, 1,5 bilhão é referente às exibições em emissoras de TV aberta. O resto vem das emissoras de TV por assinatura. Foram produzidos 1300 episódios de "El Chavo" durante 24 anos, o que totaliza cerca de 1,3 milhão de dólares por cada episódio de meia hora.

A conta não inclui renda de merchandising e outros produtos licenciados fora da televisão, o que gera anualmente pelo menos 24 milhões de dólares para a Televisa, quantia que deve aumentar consideravelmente em breve - um filme em 3D de Chapolin Colorado (personagem no qual foi inspirado o "Homem Abelha" do desenho Simpsons) está em pré-produção e deve chegar aos cinemas em 2014, de acordo com Maria del Carmen Rotter Alday, diretora de marcas da Televisa.

Criado pelo comediante mexicano Roberto Gomez Bolaños, o mesmo que estrela o seriado, "El Chavo" explora as façanhas de um menino de rua que vive em um barril, interpretado por alguém de 40 anos chamado Bolaños. Contando com outros adultos no elenco, "El Chavo" inclui o mimado Quico e a esperta Chiquinha, cujos bordões são muito usados nos dias de hoje por aqueles que falam a língua espanhola. As piadas estão longe de serem politicamente corretas e geralmente envolvem alguém recebendo pancadas na cabeça com um martelo ou um tijolo.

Há muito tempo se especula o porquê de "El Chavo" ser um sucesso tão grande na América Latina, onde o personagem já foi comparado com Simon Bolívar, o revolucionário venezuelano que lutou para a independência econômica e unificação da região. Para seu criador, é tudo relacionado com a simplicidade. "El Chavo sempre defendeu valores familiares como honestidade e compaixão, e as pessoas se relacionam com ele por causa disso", diz Bolaños, cuja vida e carreira será celebrada em uma série de eventos programados para acontecerem em toda a América Latina a partir do mês que vem.

Para Danilo Gentili, apresentador de um talk-show brasileiro e fã de "El Chavo", o segredo do sucesso do programa está no fato de ter um roteiro universal e atemporal. "El Chavo não é sobre um único personagem na vila, ou só uma história. É sobre situações do dia a dia que nós conhecemos muito bem. El Chavo nos faz rir de lugares miseráveis, cheio de pessoas gananciosas, egoístas e violentas, e também pessoas que são intimidadas por eles. E por que é tão maravilhoso? Por isso é como é a vida real. O programa nos faz rir de como o mundo é. Estamos rindo de nós mesmos", finaliza Gentili.

Clique aqui para ler a matéria original no site da Forbes, em inglês: http://onforb.es/wJ4ZVr